Campanhas do Google Shopping

  • Vívian Lobo 

Google Shopping é um tipo de campanha do Google Ads focada na venda de produtos. Os anúncios são exibidos na página de buscas do Google (Rede de Pesquisa) e contém algumas informações sobre os produtos ofertados, como imagem, preço e descrição.

Desta forma, quem está pesquisando por produtos consegue encontrar as informações que precisa com maior facilidade e ainda comparar preços e modelos de diferentes anunciantes, antes mesmo de entrar nos sites dos mesmos, o que é bom também para os anunciantes, pois isso diminui o número de cliques em anúncios por pessoas desinteressadas em seus produtos (lembrando que os anunciantes do Google Ads pagam a cada clique que recebem).

O funcionamento das campanhas é um pouco diferente de outras campanhas da Rede de Pesquisa. Nas campanhas do Google Shopping o anunciante não escolhe as palavras-chave que farão com que os anúncios sejam exibidos. Nessas campanhas, os anúncios serão exibidos para quem busca por termos relacionados à descrição do produto. Para isso, o anunciante terá que fazer o upload de um arquivo contendo um feed de dados de todos os produtos que deseja anunciar, com os seguintes campos: ID do produto, título, descrição, link, imagem, disponibilidade, preço, categoria, marca, gtin (número global de item comercial) ou mpn (número de peça do fabricante), cor, material, estampa, tamanho, e outros atributos não obrigatórios.

Esse feed pode ser feito nos seguintes formatos: Google Planilhas, .txt, .xml ou uma API . Sendo mais comum usar um arquivo .xml. Geralmente, as próprias plataformas de ecommerce já têm integração com o Google Shopping e disponibilizam esse arquivo .xml com todas as informações dos produtos atualizadas, facilitando assim o marketing dos produtos corretamente cadastrados no site!

O feed de produtos não será importado diretamente no Google Ads, será importado para uma outra ferramenta do Google chamada Merchant Center. Lá o anunciante poderá fazer uploads manuais do feed ou programar uploads automáticos, o que é o mais recomendado, principalmente se sua plataforma de ecommerce já oferece o feed nas especificações necessárias para o download automático.

Depois é só fazer a integração das contas do Google Ads e do Google Merchant Center e todas as informações dos produtos estarão automaticamente disponíveis nas campanhas. Vale ressaltar que, como foi dito anteriormente, os anúncios serão exibidos para pessoas que pesquisam por termos relacionados à descrição dos produtos inserida no feed, então se as descrições dos produtos no feed estão ruins ou contém outras informações não relacionadas ao produto ofertado, os anúncios serão disparados para usuários irrelevantes, o que pode diminuir a performance de suas campanhas.

A princípio pode parecer complicado configurar campanhas do Google Shopping, mas é bem simples, principalmente se utiliza uma plataforma de ecommerce que já disponibiliza o feed de produtos. O Google Ads lançou recentemente campanhas inteligentes, o que deixou a criação das campanhas bem simples, bastando apenas importar o feed, escolher a localização do seu público-alvo e o orçamento diário da campanha. A própria campanha se encarrega de melhorar a performance dos anúncios de acordo com o histórico de resultados!

Para anunciantes que já estão familiarizados com o Google Ads, as campanhas de Google Shopping oferecem diversos recursos que podem ser explorados, como:

  • Possibilidade de dar lances diferentes para cada produto ou lista de produtos, assim, consegue-se focar a maior parte do investimento em produtos com maior potencial de vendas, como os produtos campeões de vendas, os produtos em oferta, os lançamentos e produtos com frete grátis, por exemplo
  • Lances diferentes por região, dispositivo, idade, renda familiar, horário do dia e gênero do público-alvo, de acordo com o histórico de resultados
  • Lances diferentes para listas de remarketing, possibilitando aumentar o lance para pessoas que abandonaram o carrinho de compras do seu site há 1 dia, por exemplo
  • Negativação de palavras-chave para os anúncios não serem disparados para buscas não relacionadas aos seus produtos ou indesejadas por outros motivos
  • Utilizar campanhas com baixa, média ou alta prioridade. Assim, consegue-se traçar diferentes estratégias, como deixar em alta prioridade apenas as buscas mais específicas, de usuários já na reta final do seu caminho até a compra e deixar em baixa e média prioridades os usuários que ainda estão procurando mais informações sobre o produto que desejam comprar

Com as últimas atualizações, o Google Shopping virou uma ferramenta versátil, que consegue atender bem a usuários novos e a usuários que já possuem maior experiência com as campanhas. Vou deixar para outros posts explicações mais detalhadas sobre como criar o feed e as campanhas para os novos anunciantes e estratégias mais elaboradas de vendas no Google Shopping para usuários já familiarizadas com o Google Ads.